A Mulher Honesta

Ultimamente ando curtindo muito ler os posts da Ailin Aleixo, blogueira colaboradora da Revista Alfa, revista de menino. Ela é das minhas. Ontem li esse post bárbaro sobre mulher chata. Adorei, assino embaixo e vou compartilhar com vocês! Só lembrando que estou sozinha porque QUERO, então nem quero ver comentários do tipo “você tá sozinha, você é chata”.

Divirtam-se, crianças!

P.S.: Ah, já agendei um novo post, mas é pra outro dia, aguardem! hohoho

A cruel realidade sobre as chatas

Por que tem tanta mulher avulsa hoje em dia? Não acho que seja pela reprodução acelerada dos fãs de sauna nem por culpa da carga de trabalho. Também não é por causa da balela (contada com ares de conquista) de que ficamos tão independentes que ultrapassamos a necessidade de ter alguém pra compartilhar o cotidiano. A razão para ter tanta mulher solteira é simples e cruel: o mundo está cheio de chatas.

A coisa mais comum em parques, bares, restaurantes e escritórios é mulherada reclamando. Se o cara não deu sinal de vida depois da primeira transa: credo, que escroto. Se mandou flores depois da primeira transa: ih, que careta. Se ligou todo simpático no dia seguinte: coitado, é inseguro. Se falhou no que deveria ser a primeira transa: o desgraçado é um broxa. Se o cidadão não quer um relacionamento fixo e deixa isso claro: putz, que galinha. Se não deixa isso claro: putz, que sabonetão. Se quer namorar pra valer: putz, sabe que eu não sei se estou disposta a abrir mão da minha liberdade?

Não dá para ter paciência com essas fêmeas surtadas, não. Eles estão mais é certos de preferirem tomar uma cerveja com os amigos a encarar um cineminha com uma mocinha simpática que pode, em questão de horas, se transformar numa onça com raiva ou grudar feito ventosa e começar a escorrer melado.

Não acredito em “surto de solteirice masculina”. Isso é bobagem: só falta homem para quem é pentelha demais, excessivamente cobradora, doentiamente independente ou que tenha a cara de um cachorro pug com gripe. Mas, acima de tudo, falta homem para dois tipos de mulheres: aquelas que estão sozinhas e continuam agindo como se não precisassem de ninguém e as que ficam praticamente sem ar se não tiverem um ser para chamar de “tchuchuco”. Peraí! Namorados são bons para animar a vida, partilhar o cotidiano, levar o cachorro pra fazer cocô na rua, comprar remédio para cólica em noites de chuva. Eles não dão, por si só, sentido à vida de ninguém. São apenas homens com quem podemos ser mais felizes.

Se a nega está há muito tempo sem um bípede do sexo oposto para “chamar de seu” e já nem se lembra como passar um domingo a dois, pode ser que não haja nenhuma conspiração mundial ou um raro alinhamento dos astros que intervenha malignamente sobre sua vida amorosa. Talvez seja tudo muito mais simples e mais fácil de resolver: talvez ela seja chata.

Anúncios

3 Respostas para “A Mulher Honesta

  1. bibiana

    sou chata convicta.

  2. eu acho que chato tem dos 2 sexos. se há mais mulher chata que homem chato nunca constatei.
    concordo que em geral as mulheres esperam demais dos homens e acabam ou se decepcionando ou pondo muita pressão.
    sou da opinião que antes de arrumar alguém tem que se estar bem sozinha. e quando encontramos alguém temos que continuar capazes de estarmos bem sozinhas. mas uma relação é sobre compartilhar, nossos corpos, nossos pensamentos, e tem que se saber fazer isso também. senão é chato.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Uma publicitária/musicista fica solteira pela primeira vez, aos 26 anos. Meu nome é Ana e praticamente engatei um relacionamento sério no outro desde os 14 anos. O Código de Conduta da Solteirice é totalmente desconhecido para mim. Por conta disso, me pego em situações completamente surreais e (tragi)cômicas para aprender a viver em um universo totalmente inexplorado. Sou uma Bridget Jones às avessas. NÃO ESTOU "NO MERCADO". NÃO ESTOU ATRÁS DE HOMEM.

Follow me, fellas!

%d blogueiros gostam disto: