Back to basics – Obvious things I never learn – Lesson #1

Don’t trust people. There’s no such a thing as fraternal love.

Don’t trust women. They always end up stabbing you in the back.
They never love you enough.

Don’t trust men either. In the end, they always want to get into your pants.
They never love you enough.

What a cliché! But I always tend to expect the best from everyone. So wrong…

I’m not even sure if  I am able to trust myself, cuz I always forget this trust-no-one thing.

“Trust no one. Not even yourself”.

Maybe I’ll just have to keep repeating it to myself everyday in front of the mirror, like my new daily mantra.

Welcome to loneliness, my dear.

So that’s how it feels like? Well, OK. I think I can handle.

Anúncios

2 Respostas para “Back to basics – Obvious things I never learn – Lesson #1

  1. ah que drama mais desnecessário amiga. “Welcome to loneliness, my dear.”? nem precisa confiar, mas tbm num quer dizer que vamos ficar por aí solitárias. =)
    acho que o importante é saber discriminar, tem coisas que dá pra confiar, outras não. a minha idéia é não DEPENDER de ninguém. aí dá pra ficar tranquila.
    a carta num chegou ainda mas está a caminho. e já tenho mais novidades. =) arrumei um novo emprego (mais um). agora tbm farei noites na recepção do hostel que fica aqui no pátio onde moro. eu e o dominic vamos dividir esse emprego.
    também há mais novidades no campo das artes, estou preparando minha volta à street art. lisboa será invadida minha querida…
    abração e nos falamos

  2. meu, esse blog é mentira né?
    cadê? cadê?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Uma publicitária/musicista fica solteira pela primeira vez, aos 26 anos. Meu nome é Ana e praticamente engatei um relacionamento sério no outro desde os 14 anos. O Código de Conduta da Solteirice é totalmente desconhecido para mim. Por conta disso, me pego em situações completamente surreais e (tragi)cômicas para aprender a viver em um universo totalmente inexplorado. Sou uma Bridget Jones às avessas. NÃO ESTOU "NO MERCADO". NÃO ESTOU ATRÁS DE HOMEM.

Follow me, fellas!

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

%d blogueiros gostam disto: