Quando percebi que precisava aprender a ser solteira

Em minha primeira semana de solteira, no fim da semana, uma das minhas roomates me chamou para sair para comer. Ela é inteligente, segura e bonitona. Teve relacionamentos sérios, mas sabe ser solteira. Temos amigos em comum e geralpagapaupraela.

Andamos até o restaurante de espetinhos que tem na avenida perto de casa, num papo super legal. Tá, eu sei. Eu virei vegetariana há alguns meses e perdi inacreditáveis 10 quilos em seis meses, mas nesse dia abri uma exceção, mesmo tendo chegado lá com a intenção de só comer espetinhos de queijo.

Comemos, rimos e durante a refeição dividimos duas cervejinhas. Pagamos a conta. Foi então que aconteceu: ela notou que o garçom era um cara ultra atencioso, especialmente para com duas mocinhas bonitas. Como quem não quer nada, ela PEDIU UMA SAIDEIRA.

Pedido atendido!

MELDELS! Em toda a minha vida, raras foram as ocasiões em que vi tal pedido ser atendido! Fiquei impressionada.

Na hora não me dei conta. Mas quando dei aquela voltada na fita, fazendo uma análise rápida e calculada, observei que ela havia amaciado a voz e sorrido ternamente no ato do pedido.

Sempre andei muito com meninos.
Sempre achei que eu era só mais um dos caras (outro erro, mas isso é papo pra outro post).
Sempre fui simpática, mas nunca amaciei a voz em tom hipnótico!
Nunca pedi cerveja com luz divina e vento nos cabelos.
O resultado?
Nunca ganhei saideira na vida!

Naquela noite o nosso saldo foi de três saideiras. E foi ali que eu tive certeza absoluta de que eu não sabia nada de nada dessa vida de neo-solteira.

Não que eu vá tentar conseguir coisas usando charme.  Nem quero, seria um belo desastre. Não é natural pra mim. Mas foi uma situação de quebra de paradigmas,  uma pequena coisa que me mostrou o outro lado da moeda. Vi que existe uma grande diferença entre a forma como vejo o mundo (com olhos de casada) e como o mundo é. Resolvi jogar o orgulho fora e assumir que só sei que nada sei.

Anúncios

2 Respostas para “Quando percebi que precisava aprender a ser solteira

  1. Tenho passado por aqui muitas vezes!
    Acho demais os posts.
    Ah sim, essa vida de solteira,
    acho que nada sei. Não sei como ficar sozinha,
    aprendi na marra o outro lado da moeda, só pra eu não me sentir um filhote com aqueles olhos perdidos no meio selvagem.
    Seria tão bom três saideiras só dizendo ” Amigão!Manda a próxima ai.”
    E quer saber?
    Acho que tem o grupo das que não sabem ser solteiras.
    Mas e daí? Agente aprende, só não é garantia que agente use.

  2. larissa

    Primeira vez que acesso seu blog e me interessei pelo seu post …a propósito era o que eu procurava.
    Bem, a “alguns muitos anos” não sei o que é ser solteira, agir como tal,enfim.Definitivamente estou no momento para isso, nem nova demais e nem na casa dos 30 ainda, percebo que estou totalmente naquela situaçãoque vemos em filme: “Vá com calma! Estou a muito tempo ‘sem ninguém’, …já não me lembro como faz isso”!
    Quando aprendermos a ser “casadas”,mulheres amadas,amando e fiéis e totalmente correspondidas, tudo parece ser gostoso, aliás, parece não,É! Porém, ao término de uma relação que sempre pareceu ser perfeita,porém as atitudes desgastaram , penso que sou uma garota de 17 anos,tendo que aprender a mostrar-me “livre” novamente,o que parece um tanto difícil pra mim ….
    Concordo com a companheira acima…seria tão melhor,pedir apenas: ” Amigão!Manda a próxima ai.” com um sorriso sincero e simpático, sem dar mole e ganhar …..porém …..
    Não é assim que a banda toca, correto ?!
    Só sei que da época de solteira e do início da paixão o que mais sinto falta e quero viver novamente,são as mensagens em horas inesperadas que fazem você rir onde quer que esteja apenas olhando o celular…
    Quando o beijo simplesmente acontece e a sintonia é tão gostosa,ao ponto de esquecer tudo a sua volta…
    Quando não existe espaço para o ciúmes chato, para as discussões por motivos poucos.
    Quando com o silêncio é apenas aquela timidez: beijo agora ou não ..rsrs
    Sim, quase uma adolescente novamente….
    Inicio de um grande sentimento,acontece assim,como se revivêssemos nossa época de frio na barriga por um simples olhar….
    O que queremos no final das contas,acredito que é apenas ser feliz ….
    Não vou buscar a paixão, quero que ela me ache e me prenda como já vivi …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Uma publicitária/musicista fica solteira pela primeira vez, aos 26 anos. Meu nome é Ana e praticamente engatei um relacionamento sério no outro desde os 14 anos. O Código de Conduta da Solteirice é totalmente desconhecido para mim. Por conta disso, me pego em situações completamente surreais e (tragi)cômicas para aprender a viver em um universo totalmente inexplorado. Sou uma Bridget Jones às avessas. NÃO ESTOU "NO MERCADO". NÃO ESTOU ATRÁS DE HOMEM.

Follow me, fellas!

%d blogueiros gostam disto: